Por que não outra formação?

Desde que começou o Campeonato Mineiro o treinador Paulo Cezar Catanoce já utilizou 21 jogadores, e ainda não conseguiu fazer com que a equipe renda o ideal. Mesmo usando muitos jogadores a equipe sempre entrou com a formação 4-2-3-1, com 2 laterais e 2 zagueiros compondo a zaga, 2 volantes mais adiantados, 3 homens de meio de campo e 1 centroavante, essa mesma formação foi utilizada pelo treinador na ultima temporada.

O assunto foi discutido em redes sociais, o radialista Mário Azevedo, acredita que o time tem um potêncial para render jogando em uma formação 3-4-3 com Clebão, Mauro Viana, Ferron e Bruno Costa; Cesinha, João Paulo, Daniel Pereira e Rafael Estevam, Jarlan, Tony(Alfredo) e Saulo.

Uma opção semelhante seria o 3-5-2 que poderia ser composto com Clebão, Ferron, Rogério(líbero), Bruno Costa, João Paulo e Daniel Pereira de volantes, Cesinha e Rafael Estevam como alas, Eliomar como meia atacante, e Jarlan e Deivison como atacantes.

No seu ano “sabático” de estudos e observações antes de voltar ao Corinthians, Tite foi a Madrid assistir a treinamentos e conversar com Carlo Ancelotti. Quando retornou, ao relatar a experiência, afirmou que tentaria aproveitar o que viu e aprimorar a execução do 4-1-4-1.  Após isto, vários clubes começaram a utilizar esta formação que poderia ser composta por Clebão, Cesinha, Ferron, Bruno Costa, Rafael Estevam na primeira linha de quatro jogadores, João Paulo como o volante, outra linha com Alê, Daniel Pereira, Marco Goiano e Jarlan e Deivison como centroavante.

Além dessas muitas outras formações poderiam ser utilizadas, o Uberlândia apesar de não estar mostrando qualidade, têm um elenco com vários atletas com várias características, que poderiam render mais em outras posições em diferentes formações

COMPARTILHAR
Evandro Junior
Mestrando na Universidade Federal de Uberlândia em engenharia elétrica. Acompanha o futebol em todo âmbito, internacional, nacional e regional.

DEIXE SEU COMENTÁRIO