A F1 voltou a “sair faísca”

A temporada 2017 de F1 está diferente dos demais anos, e as mudanças feitas elevou o nível de pilotagem obrigando os pilotos a “usarem os braços” para fazer as ultrapassagens e trouxe de volta à categoria algumas emoções que, há pouco, foi perdida sob às regras de outrora.

Nesta última prova tivemos um novo vencedor, este que era promessa desde quando pilotava sua Williams Martini Racing. Um dia antes de completar 23 anos sem Ayrton Senna, Valtteri Bottas fez uma largada fantástica e saltou para o topo da fila, lugar que não largou mais, e venceu o grande prêmio da Rússia no domingo (30).

Quase no final da prova, quando o Alemão Sebastian Vettel estava na DRS (Sistema de Arrasto Aerodinâmico, utilizado pelos pilotos para favorecer à ultrapassagem), o brasileiro Felipe Massa favoreceu a ultrapassagem de seu ex colega de equipe e, segundo Vettel, não fez o mesmo para com ele, o que irritou bastante o alemão que mostrou delicadamente o dedo médio ao brasileiro ao fim da quarta curva quando, enfim, conseguiu a ultrapassagem.

Felipe Massa foi questionado pelos repórteres sobre o ocorrido: “Eu deixei a direita livre para ele ultrapassar, mas ele não quis”.   O brasileiro foi lembrado pelo Bottas, mas não sobre às ultrapassagens, a lembrança e comentário aconteceu antes da corrida quando argumentava sobre sua desenvoltura na Mercedes. O alemão disse que aprendeu muito com Felipe Massa quando chegou na F1, onde pode observar o colega a desenvolver o carro junto aos engenheiros da equipe, o que foi, e sempre será, fundamental para o alto desempenho nas provas.

Já o excêntrico Lewis Hamilton  não foi feliz nesta prova. O piloto inglês, sem nenhum poder de reação, amargou um quarto lugar, não saiu na foto, e viu o alemão abrir 13 pontos de vantagem. Mas não para por aí, seu companheiro de equipe fez um trabalho perfeito e se aproximou na pontuação.

Como todos sabem, o inglês não é de mostrar os dentes para os companheiros que lhe dão aperto, assim a boa convivência com finlandês deve estar “na reta final”.   Com o desempenho de um campeão, Bottas deve ter feito Toto Wolff e Niki Lauda pensarem: “por que pedimos para Valtteri abrir para Lewis no início do campeonato”. Por outro lado, Toto Wolff não quer nova disputa “com faíscas” como no ano passado entre Hamilton e Rosberg.

Resta acompanhar o desenrolar dessa história entre um inglês, um alemão e um finlandês. Ao que tudo indica, muita faísca irá sair até o fim da temporada.

COMPARTILHAR
Pácis Junior
Pácis Júnior é cineasta, diretor da série humorística Piadorama, e documentárista. Foi diretor do programa Resenha, do Futebol Uberlândia, e hoje é coordenador da Manchete Esportiva.

DEIXE SEU COMENTÁRIO