Departamento técnico científico em um clube de futebol

                 Tomei conhecimento pela primeira vez sobre o Departamento Técnico Científico (DTC) de um Clube de futebol profissional em 2010, em conversa com o então Coordenador do recém criado Departamento Técnico Científico do Brasil de Pelotas, Luiz Parise, o ex jogador e Assistente técnico do Bahia André Luiz, o Preparador Físico Taimar Marinho, que esteva recentemente no São Paulo de Rio Grande e o fisiologista Júlio Couto, hoje Professor da Universidade Vale do Itajaí SC. Discutíamos naquele momento a importância da formação técnica e tática em nossas categorias de base e a transição dos atletas em formação para a equipe profissional. Ponto pacífico é a integração dos trabalhos das equipes, para unificar ideias e compromissos, qualificar os treinamentos, fornecer materiais e equipamentos adequados e por último possibilitar o desenvolvimento não só técnico, tático e físico como também pessoal, moral e ético aos adolescentes das categorias de base.

O DTC é responsável por implantar departamentos multidisciplinares no Clube, exigência do futebol moderno, e a necessidade de aglutinarmos profissionais das diversas áreas de conhecimento. Fisiologia, nutrição, assistente social, psicólogo, fisioterapia e saúde são departamentos indispensáveis dentro de um clube de futebol hoje em dia. Torna-se importante, ao mesmo tempo que construir equipes multidisciplinares no futebol, torná-las interdisciplinares. Uma das principais funções de um DTC é construir equipes multidisciplinares e uniformizar a linguagem do planejamento e, ainda, fazer com que essas equipes dialoguem e interajam.

Há a necessidade de projetos de curto, médio e longo prazo, garantindo ao Clube sua execução independente de resultados e das instabilidades de cargos. O Departamento Técnico Científico, neste contexto, é um departamento de confiança da Direção do Clube, independente das instabilidades das comissões técnicas. O aperfeiçoamento constante dos profissionais da comissão técnica é outro fator preponderante do sucesso, exigindo a formação continuada, que passa a ser o diferencial na qualidade do trabalho desenvolvido, com atualização e implantação de novos conceitos, determinando um trabalho de alta qualidade.

Uma das coisas que sempre me incomodou na gestão de um Departamento de categorias de base foi a sistematização da metodologia de treinamento do Clube. A existência de um modelo único de treinamento, desde a mais tenra idade até a equipe profissional. Torna-se necessário haver uma linguagem única entre DTC, Comissão técnica da equipe profissional e categorias de base, para que o Clube tenha uma concepção uniformizada no que diz respeito à preparação desportiva na formação de atletas e haja uma transição equilibrada destes atletas para a equipe profissional. É necessária uma relação muito próxima entre estes profissionais, marcada pela transparência e profissionalismo. Não existe treinamento fragmentado, parcelado, mas sim uma concepção de treino integrado, sistêmico, uníssono. Para que essa integração funcione, é necessário um sistema único e informatizado de controle de treinamento, avaliações físicas, além de um controle rígido e fidedigno de todas as atividades desenvolvidas no que se refere à performance dos atletas.

O Clube de futebol profissional que deseja vivenciar os novos tempos tem que elaborar um planejamento estratégico, com a concordância e oitiva de todos os envolvidos no processo, preparando ações de curto, médio e longo prazo. Neste planejamento estratégico, tem-se que definir e deixar claro o perfil de profissionais que poderão vir a compor o quadro de funcionários. A escolha de profissionais com perfil do Clube e qualificados torna-se o primeiro passo para a formação de uma equipe de trabalho de sucesso. Da mesma forma, a escolha dos atletas, não só pelo seu desempenho dentro de campo, mas por um conjunto de fatores previamente determinados e que é variável de Clube para Clube. Tudo isso não funcionará se o Departamento Técnico Científico não for fiel aos princípios da Instituição, seus conceitos e valores, elevando os objetivos traçados pela mesma por meio de seus órgãos democráticos.

COMPARTILHAR
Fernando Luis Pereira Lima
FERNANDO LUIS PEREIRA LIMA , Bacharel em Direito pela UFU, com Pós Graduação em Direito Civil também pela UFU e Direito Desportivo, Gestão Esportiva e Marketing pela Trevisan Escola de Negócios SP, Ex-Diretor das Categorias de base do Uberlândia Esporte Clube e elaborador de diversos projetos pela Lei de Incentivo ao Esporte Federal, para o UEC, Palmeiras SP, USP e Associação Saque de Ouro - Marcelo Negrão.

DEIXE SEU COMENTÁRIO