Dentil/Praia Clube não consegue vencer o Rexona/Rio

Mesmo sem duas titulares no time, o Rexona/Rio mantém o tabu sobre o Dentil/Praia Clube e vence o último jogo da fase classificatória da Superliga Feminina de Vôlei no tie-break, nessa sexta-feira (11), no Rio de Janeiro.

O Jogo

Quando o Dentil/Praia Clube errava no ataque, o bloqueio funcionava. A vontade foi a tônica no primeiro set da vitória praiana sobre o Rexona/Rio. Walewska se destacou no time de Uberlândia nesse set, e a Claudinha, que sofreu uma fratura na unha, precisando de uma atadura para continuar na partida, também foi uma das responsáveis pela vitória do Praia nesse primeiro set por 25 a 15 sobre o Rexona.

O Praia voltou bem com uma jogada ímpar de Ramirez que mostrou coragem e visão perfeita de jogo. Mas o Rio abriu 3 pontos e o técnico Ricardo Picinin logo pediu tempo.  O time de Bernardinho seguiu melhor no set e, mesmo com as boas atuações da  Malu e Jú Carrijo, que entraram muito bem no set,  fechou em 25 a 21.

O terceiro foi de momentos distintos. O Rio abriu no início. Depois o Praia fez 10 a 1 em  parcial para virar e distanciar no placar. Ramirez se destacou  com finalizações perfeitas e com direito a abraços no técnico Picinin durante o set. O Rio cresceu novamente e aproximou com 4 pontos consecutivos, fazendo 22 a 20.  Mas Walewska estava em excelente momento e não deixou o Rio empatar. Final de set, Dentil/Praia Clube 25 a 22.

O quarto set começou, após ponto do Rio, com um rally de 33 segundos onde o Praia conseguiu um desvio no bloqueio.  O set foi ponto a ponto até o quarto toque o Dentil/Praia Clube no ataque da Michele, que foi peça fundamental no jogo contra o Rio.

Para a frustração do comentarista Marco Freitas, o Praia abre 4 pontos sobre o Rio e obrigou o Bernardinho a pedir tempo, este que solicitou sigilo durante as observações, ou seja, sem a presença dos microfones da TV.  Deu resultado e o Rio encostou no placar em 18 a 17 e depois empatou o set em um rally com ponto da líbero Fabi. Não demorou muito e  o time da casa passou a frente e tudo voltou ao normal nos comentários do Sportv. Com uma desestrutura psicológica do time mineiro, o set ficou com as cariocas por 25 a 22.

No tie-break o Praia Clube insistia, inexplicavelmente, em sacar na líbero Fabi, mas as visitantes viraram em quadra fazendo 8 a 4.  Tudo aconteceu nesse último set, até uma bola boba caiu na quadra do Praia deixando o placar com um só ponto de diferença. Ramirez, perfeita até então, errou em uma recepção e o jogo ficou empatado em 8 a 8.

A bicampeã olímpica Fabi torceu o pé, a Natasha entrou em quadra e fez dois pontos consecutivos e colocou o Praia no jogo novamente.  Mas a carga emocional foi o grande aliado do Rio que fechou novamente a partida sobre as mineiras.

A Walewska, em entrevista para a Sportv, negou que o problema do time foi a questão psicológica e declarou incompetência da equipe nessa derrota do time praiano para o Rio que estava sem duas titulares no jogo dessa sexta-feira.

O Dentil/Praia Clube espera o jogo do Osasco para saber se terminou a fase em segundo ou terceiro na Superliga Feminina de Vôlei.

 

COMPARTILHAR
Pácis Junior
Pácis Júnior é cineasta, diretor da série humorística Piadorama, e documentárista. Foi diretor do programa Resenha, do Futebol Uberlândia, e hoje é coordenador da Manchete Esportiva.

DEIXE SEU COMENTÁRIO