Em noite de homenagens, Brasil bate Colômbia no Jogo da Amizade

Em partida muito mais marcada pela emoção que pela qualidade técnica, o Brasil bateu a Colômbia por 1 a 0 no Jogo da Amizade, realizado na noite desta quarta (25) no estádio Nilton Santos. O encontro das seleções foi uma homenagem aos 71 mortos na tragédia de Medellin, em novembro último, e todo o dinheiro arrecadado com a bilheteria será reencaminhado às famílias das vítimas.

O JOGO

Antes da partida, houve diversas homenagens aos mortos e também aos quatro sobreviventes brasileiros. Alan Ruschel, Neto e Follman, além do narrador Rafael Henzel, estiveram no gramado do Engenhão e foram ovacionados por todos os presentes. Os pouco mais de 18 mil espectadores gritavam “Vamo Vamo Chape” enquanto o quarteto se emocionava em campo. Mais tarde, Alan Ruschel, Follman e Henzel fizeram parte da transmissão da Rede Globo, com o narrador dividindo a narração da partida com Galvão Bueno.

Rafael Henzel narrou boa parte do jogo na TV Globo (Foto: Reprodução/Globo)

Com a bola rolando, a Colômbia se mostrava mais entrosada que o time brasileiro. Isso se explicou porque quatro jogadores do time de Jose Pekerman eram companheiros no Atlético Nacional, enquanto Tite teve apenas um treino para organizar a seleção. O Brasil chegou pouco ao gol de David Gonzáles no primeiro tempo, com as principais chances saindo dos pés do volante William Arão e do atacante Dudu, que eram travados com frequência pela zaga adversária.

Os colombianos, por sua vez, tinham melhor toque de bola e por vezes envolveram a defesa brasileira. O lance de maior perigo da primeira etapa saiu dos pés, ou melhor, da cabeça de Uribe: aos 34’, o volante subiu mais alto que a zaga canarinha e mandou a bola na trave direita de Wéverton.

O segundo tempo começou com ambas as equipes modificadas em relação à primeira etapa. E um dos suplentes do Brasil iniciou a jogada do gol: logo no primeiro minuto, Rodriguinho trabalhou pela direita, enfiou para Fagner que cruzou para Diego Souza. O chute rasteiro bateu em Gonzáles e sobrou no alto para Dudu, que de cabeça marcou para o Brasil.

A partir daí, vários jogadores foram testados tanto por Tite quanto por Pekerman, nenhum com grande destaque. As equipes apostavam em jogadas rápidas para ampliar o escore, mas as defesas bem armadas pouco permitiram emoções em suas áreas. Ao fim de dois tempos, Jorge Baliño apitou o fim de um jogo que, mesmo valendo pontuação para o ranking da FIFA, foi válido muito mais para agradecer à Colômbia e venerar os heróis de Chapecó.

 

Os sobreviventes em campo (Foto: CBF)

FICHA TÉCNICA

BRASIL: Wéverton; Fagner, Geromel, Rodrigo Caio e Fábio Santos (Jorge); Walace, Willian Arão (Rodriguinho), Lucas Lima (Gustavo Scarpa), Dudu (Camilo) e Robinho (Diego); Diego Souza (Luan). T.: Tite

COLÔMBIA: Vargas; Bocanegra, Felipe Aguilar, Tesillo e Farid Díaz (Balanta); Abel Aguilar (Cuéllar), Mateus Uribe e Macnelly Torres (Montoya); Copete (Vladimir Hernández), Téo Gutiérrez (Berrío) e Borja (Michael Rangel). T.: José Pekerman.

GOLS: Dudu, a 1’ do 2º Tempo.

ARBITRAGEM: Jorge Baliño (ARG); Lucas Germanotta (ARG) e Germán Chade (ARG).

PÚBLICO: 18.695 / RENDA: R$ 1.219.675,00 (toda revertida para as famílias das vítimas).

 

COMPARTILHAR
Victor Albergaria
VICTOR ALBERGARIA tem 22 anos e é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia. Trabalhou por quatro anos em diversas rádios no dial e online da cidade, dentre elas a Universitária FM e a Cultura AM. É produtor de vídeos, narrador e repórter esportivo, além de ter sido colunista do site UBER Notícias em 2016.

DEIXE SEU COMENTÁRIO