O País do Grito Pede Silêncio

Na semana passada, anunciou-se que o Brasil havia sido punido pela Fifa, por mal comportamento de sua torcida durante a partida contra a Colômbia, disputada no dia seis de setembro, em Manaus, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. A decisão não lhe impunha perda de pontos, suspensão de atletas ou qualquer outra coisa nesse sentido, mas uma multa no valor de vinte mil francos suíços, equivalente a 71.700 reais.

Ao mesmo tempo, informava-se que o Chile, por ser reincidente, recebia uma multa bem mais significativa, chegando a 233 mil reais, além de perder o mando habitual de um jogo. Ali ficou estabelecido que a sua partida contra a Venezuela, prevista para o dia 28 de março do ano que vem, não poderia ser no Estádio Nacional de Santiago. Ela acontecerá em território chileno, mas não no estádio que é considerado a casa do selecionado andino.

Nos dois casos, o condenável no comportamento das torcidas era o grito de “puto” dos chilenos e “bicha” dos brasileiros, que ocorre no momento em que o goleiro adversário vai bater o tiro de meta. A Fifa considera que isso é manifestação homofóbica. E no instante em que o mundo inteiro prega o respeito às diferenças raciais ou às escolhas individuais, até com faixas que precedem a entrada das equipes no gramado, não podemos considerar um exagero da entidade que comanda o futebol no mundo. Apenas estranhei o fato de o México, legítimo inventor da brincadeira que passa a ser considerada de mau gosto, nem ter sido lembrado quando do referido anúncio. Então fui saber mais a respeito.

Na verdade, os criadores daquele vozear que vai crescendo, invadindo os ouvidos e só termina com o “puto”, que quer adjetivar o goleiro visitante, levaram a seleção de seu país a também ser penalizada. Não agora, mas anteriormente, o México viu-se obrigado a desembolsar os mesmos 20.000 francos suíços que agora são cobrados do Brasil.

Por um momento, cheguei a pensar que aquela regra tivesse mudado e que agora só não existia pecado era do lado de cima do Equador!

COMPARTILHAR
Odival Ferreira
ODIVAL FERREIRA é jornalista, locutor esportivo e autor de quatro livros, entre os quais UBERLÂNDIA ESPORTE CLUBE, A História e Seus Personagens.

DEIXE SEU COMENTÁRIO