Desencantou? Responda-me no final…

Entre os muitos verbos utilizados pelo Futebol Brasileiro na sua passagem pelas Olimpíadas, um deles foi escolhido para nortear esta coluna. Desencantar, segundo sua descrição no dicionário é: “livrar (-se) de (encanto, magia); perder o efeito (o feitiço); desenfeitiçar (-se)” ou ainda “fazer perder ou perder o encanto, a graça, o charme”.

Façamos um paralelo, das campanhas no masculino e no feminino. A começar pela eufórica expectativa que cobria a seleção de Neymar e companhia às vésperas da competição. A Brasileira era a única seleção dos jogos, que pôde contar com praticamente todos os seus preferidos e mesmo assim escorregou na estreia diante da África do Sul e continuou escorregando no confronto seguinte diante do Iraque. Chegou a assustar e iludir muita gente, de que a Seleção Brasileira, mais uma vez deixaria escapar o sonho dourado do ouro. Na sequencia, o jogo crucial diante da Dinamarca, onde as criticas e suspeitas rodeavam e pressionavam os “selfie-boys” brasileiros, que conseguiram impor seu talento com a bola nos pés e sem firulas e jogando sério, atropelaram os nórdicos europeus, classificando à próxima fase.

Enquanto isso, as meninas lideradas por Marta, seguiam seu destino cruel. Sem tomar conhecimento, passaram por cima das Chinesas, na sequencia a futura algoz Suécia, não viu a cor da bola diante das brasileiras, que deram outro passeio, e fecharam a primeira fase, empatando com as sul-africanas. Tudo certo, tudo moralizado. Duas goleadas e um empate onde se testou as atletas consideradas reservas.

Veio à segunda fase, onde os Brasileiros precisavam reafirmar sua superioridade e logo diante do mais novo rival sul americano, os Colombianos. Novamente liderados por Neymar, que, diga-se de passagem, tem apanhado mais que “filho de mãe sem pai”, conseguiram mais uma vitória, e renovando ainda mais a esperança do torcedor brasileiro, na sequencia sapecou os Hondurenhos na semifinal, classificando-se para a Final Olímpica, e justo contra quem? O Fußball* Germânico, sim os Alemães. (*Futebol em Alemão que se pronuncia: Fussball).seleção masculina

Já as guerreiras do futebol feminino, enfrentaram duas batalhas dentro de campo. Uma não menos dramática que a outra, mas com sabores diferentes. A primeira, diante da Austrália, empate no tempo normal e na prorrogação. Nas penalidades, depois de Marta perder o que seria a ultima cobrança, eis que aparece a “santa” Bárbara, defendendo duas cobranças e classificando as meninas para um novo confronto diante da algoz Suécia. Sim as mesmas que na primeira fase, não viram a cor da bola. Mas o futebol é talvez a maior paixão dentre os esportes, justamente porque permite que injustiças aconteçam dentro de campo e desta vez, “santa” Bárbara, já tinha gastado “seus milagres” no jogo anterior. A encantadora seleção feminina, com a derrota em pé e sofrida, mas sob aplausos de um maracanã lotado, agora tentará buscar o Bronze, ainda nesta sexta dia 19, diante das complicadas canadenses.

Foto CBF
Foto CBF

No masculino, o desencantamento ocorreu dentro de campo – ou não, já que o sonho do Ouro pode/ou não, terminar neste sábado dia 20, diante dos Alemães. É a chance do futebol brasileiro se redimir em parte do que os amigos do Felipão nos fizeram passar diante dos caras do “chucrutes” na Copa de 2014.

Quanto às meninas, nossa torcida é que o desencantamento não ocorra por parte dos dirigentes, que visualizem nestas meninas, exemplos de garra, disposição, habilidade e vontade, e possam oferecer ao futebol feminino aquilo que ele merece: apoio, estrutura, investimento e um monte de eteceteras. Valeu Guerreiras do Brasil, a imagem que fica é a de guerreiras e vencedoras, independente do que acontecer dentro de campo, vocês mostram a cada dia que valem Ouro…Grande Abraço e que Deus nos abençoe! Somos Todos Menos Alguns….

Siga @LeoEnderson no Twitter e também no Instagram.

leoenderson@mancheteesportiva.com.br

COMPARTILHAR
Leo Enderson
Leo Enderson tem 39 anos e é formado em Administração e Logística pela Universidade Anhanguera. Foi repórter e apresentador da Rádio América e Globo Cultura de Uberlândia. Amante de cervejas artesanais, rock'n'roll e futebol. Aprendiz de chef de cozinha e árbitro de futebol, formado pela LUF/FMF. E-mail: leoenderson@mancheteesportiva.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO