Robson é o primeiro ouro do boxe olímpico Brasileiro

Brasileiro controlou do início ao fim combate contra o francês Sofiane Oumiha para levar a disputa do peso leve, até 60 kgs

De Boa Vista de São Caetano, na periferia de Salvador, para o Rio de Janeiro. Da frustração em Londres 2012, para a triunfal medalha de ouro nos Jogos Rio 2016.Robson Conceição é campeão Olímpico de boxe, feito inédito na história da modalidade no Brasil. Na disputa pelo título do peso leve (até 60 kgs), ele controlou desde o início o combate e venceu o francês Sofiane Oumiha em decisão unânime dos árbitros.

Desta forma, o Brasil conquista a sua terceira medalha de ouro nos Jogos Rio 2016, e a sua segunda inédita, após a vitória de Thiago Braz na noite de segunda-feira (15) no salto com vara. “É campeão”, gritou a torcida que lotou as arquibancadas e saudou um emocionado Robson Conceição, ciente do duro caminho que trilhou até esta incrível conquista.

O palco estava montado para o momento de glória do boxeador baiano. As arquibancadas do pavilhão 6 do Riocentro estavam tomadas de camisas amarelas. Todos ali sabiam que o momento era especial e que o feito seria inédito para o boxe brasileiro. “Acho que hoje a vitória vem por nocaute”, palpitou Vinícius Alves, que caprichou no visual: vestiu luvas, protetor de cabeça e a bandeira do Brasil nas costas. “Mas o combate vai ser difícil”, previu. Não foi bem assim.

O clima era tão verde e amarelo na arena que no combate anterior à final do pese leve, entre o nigeriano Efe Ajaba e o cazaque Ivan Dychko, o público vibrou muito ao saber que um dos cinco juízes era brasileiro. Tudo era motivo para festa neste combate mais do que especial – que contou com a presença do presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Nuzman.

“Ô-le-le, ô-la-la, o Robson vem aí e o bicho vai pegar”, gritaram os torcedores precedendo a tradicional batida de pês na estrutura metálica das arquibancadas, causando um barulho ensurdecedor. “Ô, o campeão chegou, o campeão chegou”, cantaram, desta vez todos de pé, ainda antes da triunfal chegada de Robson Conceição. Na sequência, já com o tradicional “uh, vai morrer”, veio o francês Sofiane Oumiha.

O primeiro round já deu a impressão inicial de um combate franco. Usando da esquiva, Robson partiu para cima encaixando poderosos diretos que furaram a guarda francesa, agora aos gritos de “sou brasileiro, com muito orgulho e com muito amor”. Soberano, já no segundo round levou o publico ao delírio ao acertar um cruzado que quase derrubou Oumiha. Os juízes deram vitória para o brasileiro nos dois assaltos. Ou seja, só uma queda tiraria o ouro do brasileiro.

A queda não aconteceu. Robson Conceição manteve a calma para um terceiro round um pouco mais conservador – a pressão estava toda com o francês. Ou melhor, contra o francês. Ao soar do gongo, com direito a contagem regressiva, Robson comemorou. O adversário baixou a cabeça. Oumiha não foi páreo para um pugilista que se preparou muito para este momento mais do que merecido. “É campeão”, gritaram todos antes mesmo do anúncio oficial

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO