Em duelo de gigantes no tênis, Djokovic é eliminado do Rio 2016 por Del Potro

Por Luiz Roberto Magalhães – Brasil2016

Espremidos em uma pequena sala na quadra central do Centro Olímpico de Tênis, na Barra da Tijuca, no final da manhã de quinta-feira (4.8), especialistas em tênis de todo o mundo trocaram olhares e não precisaram dizer praticamente nada quando a televisão apresentou quem seria o rival do sérvio Novak Djokovic na estreia dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Assim que o nome do argentino Juan Martin Del Potro apareceu logo abaixo do nome do sérvio na chave, ninguém naquela sala teve dúvidas de que a principal partida na rodada, no masculino, seria entre os dois.

Thomaz Bellucci comemora ponto na vitória diante de Dustin Brown
Thomaz Bellucci comemora ponto na vitória diante de Dustin Brown

Mas o que Novak e Juan Martin apresentaram ao mundo neste domingo (7.8) na quadra Maria Esther Bueno, a principal do Centro Olímpico de Tênis, superou as expectativas de todos. Não pelo resultado, já que, apesar do retrospecto de 11 vitórias contra três derrotas de Djokovic sobre o argentino antes da partida deste domingo, Del Potro já provara que tinha ferramentas na caixa para complicar a vida do número 1 do mundo, a exemplo do que fez na decisão do bronze nas Olimpíadas de Londres 2012, quando ele triunfou por 2 x 0 e tirou Djokovic do pódio.

O que chocou (ou melhor, maravilhou) tanto especialistas quanto qualquer um dos milhares de torcedores que compareceram para ver o duelo dos dois no Rio foi o nível técnico que Juan Martin Del Potro e Novak Djokovic atuaram neste domingo. Em um confronto marcado por um festival de potentes golpes de direita por parte do argentino, que atuou próximo à perfeição durante todo o embate, Novak Djokovic não foi páreo para toda a pressão a que foi submetido desde o primeiro game.

Assim, apesar de ter tentado tudo o que podia – e em se tratando de Djokovic isso é muita coisa – e de ter sido maciçamente apoiado pelo público brasileiro, o sérvio não suportou o poder ofensivo de Del Potro. Por 2 x 0, ambos decididos no tie-break (7/4 e 7/2), o argentino tornou a experiência de Novak muito breve na chave de simples das Olimpíadas no Rio. E, com isso, adiou por mais quatro anos o sonho que ele tinha de conquistar o ouro olímpico.

Com o público de pé, ovacionando incessantemente os dois tenistas, Novak Djokovic caminhou até a rede ao final da partida e deu um abraço afetuoso no argentino. “É um grande campeão, um amigo meu de muito tempo, meu amigo de circuito”, ressaltou Del Potro minutos depois aos jornalistas.

Ele enfrenta o português João Souza no terceiro duelo da quadra Maria Esther Bueno, cuja rodada começa às 10h45, e à noite, no quinto jogo da quadra 2, cuja rodada começa às 11h, joga ao lado do compatriota

Bellucci conta com desistência de adversário para avançar

Não foi uma vitória como a torcida esperava, mas a participação brasileira no Centro Olímpico de Tênis, na manhã deste domingo (07.08), começou com o avanço de Thomaz Bellucci para a segunda rodada. Na quadra central, o paulista fazia duelo equilibrado com Dustin Brown, quando o alemão torceu o pé esquerdo e acabou desistindo da disputa.

Bellucci havia perdido o primeiro set por 6/4 e vencia o segundo por 5/4 quando Brown

Dustin Brown torce o tornozelo e cai. Comoção nas arquibancadas
Dustin Brown torce o tornozelo e cai. Comoção nas arquibancadas

torceu o pé, caiu na quadra com muita dor e pediu atendimento médico. O jogo ficou parado por vários minutos até o canadense voltar à quadra. Embora tenha acertado um saque, Brown não conseguiu continuar e optou pela desistência. O alemão chegou a chorar e foi aplaudido pela torcida, que reconheceu seu esforço.

Na próxima rodada de simples, Bellucci vai enfrentar o vencedor do jogo entre o uruguaio Pablo Cuevas e Nikoloz Basilashvili, da Geórgia.

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO