Gratidão ao grupo cogestor do Uberlândia Esporte

Você é daqueles que caíram na conversa de que o grupo cogestor no Uberlândia Esporte Clube foi um erro? Você é daqueles que acha que nunca deveria ter havido terceirização no futebol do Verdão? Por fim, você é um daqueles que concorda totalmente com a rescisão da parceria com Kriss Korso e Wagner Ribeiro?

Lamento dizer, mas você é um ingrato. Depois de quatro anos seguidos tentando sair do módulo II, por duas vezes sequer passando da primeira fase, outra perdendo a grande chance num baile de bastidores ao perder para um juntado de juvenil e juniores do Montes Claros e outra por ter sido o único time a jogar em Tombos/MG na segunda fase, vocês não conseguem enxergar que o grupo cogestor, trazendo jogadores mais baratos que sempre vinham para Uberlândia, conseguiram o acesso no primeiro ano que tentaram, aliás, conseguiram ser campeões.

Sinto muito dizer de novo: você é um ingrato!!!

Não bastasse isto, depois de um histórico de quedas, este mesmo grupo cogestor, mesmo errando ao dar autonomia à Universidade do Futebol, conseguiram manter o Uberlândia no módulo I e você ainda acha que eles tem que sair?

Sinto dizer que você é realmente um ingrato.

Mas aqui em Uberlândia, lamentavelmente, conseguiram disseminar isto. Pra que? Pra voltar a mesma turma que nunca conseguiu nada junto ao UEC?

Ingrato eu não sou. Lamento muito o fim do grupo cogestor e agradeço, de coração, os relevantes serviços prestados à nação verde pelos empresários Kriss Corso, Wagner Ribeiro e Marcio Malamud. Vocês fizeram no período de um ano e meio o que alguns considerados experientes no futebol estavam tentando há anos.

Vocês do grupo cogestor já estão na história do clube como uma boa lembrança.

Obrigado, obrigado e obrigado !!!

 

COMPARTILHAR
Renato Rodrigues
Renato Melo Rodrigues é advogado trabalhista em Uberlândia/MG

DEIXE SEU COMENTÁRIO