Spencer Lee é o novo auxiliar técnico do Osasco

Peça fundamental na história do Praia Clube na disputa da Superliga Feminina de Vôlei, Spencer Lee, treinador do time uberlandense por seis temporadas, é o novo auxiliar técnico do Osasco (SP).
Ele, agora, passa a integrar a comissão técnica da equipe paulista de um dos principais times de vôlei feminino do Brasil e do mundo. Esse será talvez o maior desafio de sua trajetória no voleibol nacional.

O trabalho, realizado nas duas últimas temporadas no comando da pequena equipe do Rio do Sul (SC), teve papel fundamental para a ida do treinador rumo à capital paulista, onde trabalhará como auxiliar técnico do técnico Luizomar de Moura.

FOTO: Divulgação/ Osasco
Spencer Lee trabalhou por 7 temporadas no Praia Clube

Mineiro de Passos (MG), Spencer adotou Uberlândia como a sua casa, desde 1990, quando chegou à cidade para cursar Educação Física na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Em uma entrevista exclusiva para o Manchete Esportiva, Spencer fala sobre a sua expectativa em relação ao novo desafio e do seu amor pela cidade de Uberlândia.

ME: Como começaram os contatos com o Osasco?
SPENCER: Logo no meu primeiro jogo na Superliga pelo Rio do Sul (2014/2015), partida contra o próprio Osasco, o Luizomar de Moura (técnico do time paulista) me chamou para conversar. Ele me disse que queriam colocar mais uma pessoa na comissão técnica do Osasco e que pensaram em mim. Na temporada seguinte, ele falou comigo, mais uma vez, e confirmou que iriam mesmo levar mais um membro para a comissão técnica e que eu era o nome que eles queriam. Para mim, entrar no Osasco, um time paulista e com inúmeros títulos, era um sonho!

ME: Trabalhar com o Luizomar de Moura será bom para você?
SPENCER: É uma grande motivação o fato de poder trabalhar com o Luizomar, um técnico vencedor e que conquistou a Superliga três vezes. O Osasco é um clube de ponta e que pode me dar a pós-graduação em minha carreira. Será um grande salto profissionalmente e poderei crescer muito ao lado do Luizomar.

ME: Para você, quem serão os favoritos a conquistar o título da próxima Superliga?
SPENCER: Dos dois finalistas da última Superliga (Praia e Rio de Janeiro), o Praia Clube, com a contratação da central bicampeã olímpica Fabiana, melhorou ainda mais seu time, mantendo também todas as atletas titulares. O Rio de Janeiro, que foi o campeão, acho que piorou, pois perdeu a Natália e contratou uma holandesa (Anne Buijs), que é muito boa jogadora, mas a Natália foi a melhor jogadora da Seleção Brasileira no título do Gran Prix. Então, acredito que o Praia trazendo uma bicampeã olímpica ganhou muito na qualidade.

citaçãospencerleeME: E o Osasco? Vem forte em busca do título?
SPENCER: O Osasco está em um ano de mudanças. Creio que correremos por fora, mas é um time que tem tradição e está montando uma grande equipe, com jogadoras como a Dani Lins e a Tandara. Mas, o que pode ser também fundamental para o sucesso do trabalho será a química entre os membros da comissão técnica: Luizomar, Jeferson e eu. O time reduziu muito de idade, pois isso é um projeto do patrocinador de sempre incorporar três jogadoras até 18 anos e mais três até 21 anos. O objetivo do time, que, no ano passado, ficou em quarto lugar, é chegar à final desta temporada.

ME: O que você gostaria de falar sobre a sua relação com a cidade de Uberlândia?
SPENCER: Tenho uma relação muito importante com Uberlândia, pois ela me viu crescer e me inseriu na sociedade. No Praia, foi onde me projetei como profissional, o que me deu a condição de hoje ser reconhecido no mercado nacional. A ida do Ricardo Picinin para o meu lugar foi muito boa para o time e o vice-campeonato na última Superliga consolidou o projeto com muita grandeza. Fico orgulhoso por fazer parte dessa história, pois, em nove participações do Praia em Superliga, eu participei de seis delas. Isso tudo me traz lembranças muito gostosas. Eu amo Uberlândia.

ME: Como foi comandar o Rio do Sul nas duas últimas temporadas?
SPENCER: Foi importante para meu desenvolvimento profissional. No último ano, figuramos entre os primeiros colocados, com sequência de vitórias e só perdemos para o Rio de Janeiro em nossa casa. Como foi importante a ida do Picinin para o Praia, entendo que a minha ida para o Rio do Sul também tenha sido benéfica, pois pegamos o time lá embaixo e com uma estrutura complicada, muito difícil. Foi bonito ver o envolvimento da cidade em todos os sentidos. A prefeitura é a principal patrocinadora da equipe que tinha uma causa, um projeto muito importante e que me orgulha muito de ter participado.

COMPARTILHAR
Eder Lúcio
Eder Lucio é jornalista formado no Centro Universitário do Triângulo (Unitri) e tem especialização em Jornalismo Esportivo. Trabalhou por oito anos como repórter do Jornal Correio de Uberlândia, no qual participou de coberturas jornalisticas na região e por todo o Brasil.

DEIXE SEU COMENTÁRIO